Revista Brasil Travel News #248 Fazendo as malas. E agora?

Fazendo as malas. E agora?


Por Renata Maranhão para Brasil Travel News 248 


Uma das grandes dúvidas (e os maiores erros, diga-se de passagem) do turista está na hora de fazer a mala para viajar. O que levar? E se chover? E se fizer frio? Ou calor? Escolha muito bem as peças e nunca subestime a rapidez com que a mala fica cheia. O mais comum nos erros e voltar com peças intactas, ou seja, você ocupou espaço e carregou peso à toa. Procurei o know-how de Thidy Alves, stylist há 30 anos, com pós-graduação na FIT de Nova York  (Fashion Institute of Technology – State University of New York) e veste celebridades como Adriane Galisteu e Eliana. Thidy deu dicas essenciais de tudo que deve se considerar na hora de arrumar uma mala para viajar, seja no quesito “volume” ou “fashion”. 

Em primeiro lugar, Thidy indica organização: uma pequena agenda de compromissos e checar o clima do local de destino. Se vai para um hotel 5 estrelas, terá um mordomo que desfaça suas malas e passe suas roupas, mas esta não é a realidade da grande maioria das pessoas. Eu, particularmente, nem gosto que mexam na minha mala. O stylist  recomenda levar peças que possam ser reutilizadas em looks diferenciados, tecidos que não amassem, eliminar da nécessaire os perfumes, shampoos e condicionadores (comprar tudo no destino) e ainda, para ser ecologicamente correto e economizar espaço, retirar todas as embalagens dos produtos. A grande maioria dos hoteis têm secadores de cabelo, mais um item que também pode ser retirado. Só com isso, lá se vão 3 kg de bagagem desnecessária.

Thidy observa que a mulher brasileira odeia repetir roupa e sugere peças compostas, como saias e blusas ao invés de vestidos – salvo ocasiões especiais. Aconselha apenas 1 bolsa-carteira ou menor, com alças e que abandone o conceito antigo de que a bolsa tem que combinar com sapatos e acessórios. 

Para uma mala correta de uma semana, Thidy Alvis ensina:

Mulheres – 1 calça jeans básica, 1 bermuda e 1 saia (todos com lavagens diferentes), camiseta regata (1 branca e 1 preta), camisa meia manga (uma preta e uma branca), 1 salto alto preto , 1 sandália rasteira confortável (cor básica) e 1 sandália de tiras de borracha. Lenços , echarpes e apenas um par de óculos. 

Recomenda que a mesma bolsa que vai viajar no avião, de preferência, dê para ser usada na piscina ou praia. 2 biquínis, 1 maiô - para drinks no deck, lobby do hotel. Acessórios marcantes, como um colar ou pulseira.

Um vestido de noite com cores ou estampas da estação.  “O preto, apesar do conceito “básico”, pode-se errar tanto quanto em outras cores e ainda esconde a personalidade da mulher, então, se não quiser ser notada, pode ficar em casa comendo pipoca.”, brinca o expert. Para o vestido de dia, evitar paetês, cristais, esses brilhos característicos da roupa noturna. 

Já a vida do homem é extremamente mais simples quando se fala em arrumar uma mala. 1 calça jeans de lavagem escura,  2 camisas pólo), 1 calça clara. 1 calção de banho, 1 sunga (nunca, uma sunga estampada). 1 bermuda e 2 camisetas. Tênis e sapatos, atenção, sem meias. 2 camisas brancas de manga comprida, 1 blazer, de preferência no tom azul marinho (peça coringa). “Pois ainda existem lugares em que se exige do homem o uso de paletó . De dia, faz a linha low profile e à noite, é tudo de bom”; comenta Thidy.

Para o inverno, o stylist recomenda camisetas térmicas (mais encontradas fora do Brasil) e casacos que possam ser levados na mão durante a viagem. 

Assim como você, já fiz muitas malas na vida, mas calculei tão errado, que acabei tendo que comprar uma nova mala para trazer lembranças ou até minhas próprias roupas que não couberam na viagem de volta. Outras vezes, cheguei a deixar no lugar visitado pertences mais antigos, para não ter que comprar uma mala nova. Um desperdício.


Agradecimentos:

Thidy Alvis - Stylist

www.thidyalvis.blogspot.com

thidyalvis@gmail.com

   

What's App